Enjoy Books

Tudo sobre livros, séries e estudos.

Resenha: Aníur, a Ruína Está Próxima, da Esther Moratto

A minha vida de casada tinha apenas começado, tudo estava se encaixando. Até que uma noite quando estava sozinha em casa, tudo virou ruína, e o mundo que conhecia nunca mais voltaria a ser o mesmo.
Autora: Esther Moratto
Editora: Young
Ano: 2016
Páginas: 219
Onde encontrar: Amazon
Jake e Meg são jovens recém-casados e teriam um belo futuro pela frente. Mas não contavam com uma grande catástrofe, que poderia acabar com suas vidas. Um terremoto abalou a cidade em que vivem e uma doença misteriosa surgiu logo após o incidente. Será que isso seria o fim do mundo? Descubra nesta história agoniante, que te prenderá do começo ao fim.
Em Aníur vamos conhecer Meg e Jake, um casal ainda estão desfrutando da lua de mel, quando o mundo que sempre conheceram acaba sendo abalado por um terremoto e doença misteriosa.

Assim que iniciamos a leitura, vamos aos poucos conhecendo como o casal se conheceu e como foi o casamento deles. Quando Jake recebe uma ligação do trabalho, informando que ele tem uma reunião de negócios em outro estado, ele até fica relutante mas sabe que vai estar de voltar em menos de 22hr. 
Meg está feliz organizando tudo no apartamento deles, e enquanto Jake não chega, ela vai arrumando tudo para quando ele voltar. Mas o que ela não sabia era que um terremoto poderia destruir os seus planos e sonhos, com o amor da sua vida.
"Parei de pensar no que estava ao meu redor e lembrei do rosto de Jake no dia do nosso casamento. Tinha que ser forte para encontrá-lo e conseguir rever minha família."
Quando Jake saí da reunião já não consegue se comunicar com Meg, e a situação piora quando ele está no avião e uma das passageiras grita dizendo que um terremoto atingiu a cidade e houve muitas mortes.

O pior estava por vir, quando Jake chega em Growe percebe que a cidade está pior do que os relatos das pessoas. Estava tudo destruído, uma zona. O terremoto abalou prédios e estádios, e quanto mais Jake procurava por informação, menos ele achava.
- Senhor? O que aconteceu?
Ele não respondia, só gemia. E quando cheguei perto o suficiente para ajudar, ele começou a se debater no chão e o sangue da boca começou a jorrar. [...] Antes de pensar em levantar, o senhor parou de se mexer e de respirar. Fiquei imóvel ali, caído, esperando para ver se ele reagia. Mas ele não se moveu mais.
Até os dois se encontrarem vai demorar bastante, pois, Meg foi levada para um lugar de quarentena, onde todos os sobreviventes foram jogados numa enfermaria sem informações de nada ao seu redor, e o pior é que ela percebe que um dos pacientes começa a passar mal e morre em menos de 1 minuto na frente de todos. Exatamente isso, um vírus surgiu após o terremoto, e o contagio é por toque (bem The Walking Dead, só que sem os zumbis).

A questão que surge durante a leitura, é se Jake vai encontrar Meg a tempo e com vida, já que a cada minuto mais pessoas morrem.

Temos também a participação de Zou um jovem que reuniu um grupo de pessoas, e estão procurando mais pessoas com vida o quanto antes, já que após 15hr do terremoto todas as autoridades sumiram e deixaram a cidade sem notificar ninguém sobre o que é o vírus e porque causa uma morte tão terrível.

A obra é realmente bem agoniante e envolvente, temos a todo momento um suspense que vai nos deixar a flor da pele, e com vontade de entrar no livro pra ajudar Meg, Jake ou Zou. E em nenhum momento a autora solta sobre o porque do surgimento do vírus, e assim vamos acompanhando a aventura do casal que a todo momento se desencontram.

O romance da Esther evoca emoções e, lembranças e culturas do nosso mundo atual, e as transpõe para a história de forma magnifica. Através de uma escrita apaixonante e uma narrativa envolvente, a obra é capaz de nos fazer pensar sobre esse momento delicado que estamos vivendo atualmente, e quebra esteriótipos que muitas obras criam quando falam sobre o Ficção apocalítica.
Espero que tenham gostado da resenha e me contém nos comentários o que acharam da obra, e da edição. Que por fotos dá para ver que é linda e nos engana sobre o enredo que encontramos durante a leitura.
Beijoss, e até a próxima!!

Comentários

  1. Eu amei suas fotos! Ainda não tive a oportunidade de ler essa obra, mas recordo-me que li os primeiros capítulos, muitos anos atrás, e estava completamente envolvida com o desenrolar da trama. Gostei de saber sua opinião e que o livro, mesmo uma ficção apocalítica, ainda é capaz de desenvolver diversas emoções.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Nossa, que edição mais linda, e que fotos incríveis! Não conhecia esse livro ainda, mas confesso que fiquei bem curiosa para conhecer a história. Ótima resenha e dica!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Realmente parece um enredo que mistura muito bem o drama com o romance. Realmente fica difícil não fazer um paralelo com nosso momento atual, e isso é bem interessante. Gostei do enredo e da capa, e acho super que iria curtir a leitura. Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Adoro quando as editoras investem no projeto gráfico dos livros, porque isso me ganha fácil. Ainda não conhecia a autora, mas fiquei curiosa com o enredo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Uma história bem apocalíptica! Não sei se tenho coragem para ler nada nesse estilo durante a pandemia... rsrs Sério, às vezes eu tenho medo de entrar numa paranoia muito grande - não é difícil. rs
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  6. Oi Alice, tudo bem?
    Se eu olho a capa sem nenhum escrito, eu juro que não acredito ser de uma distopia. Sem contar que a história ressoa tanto com a realidade atual que fica difícil eu querer realizar essa leitura nesse momento. E olha que eu gosto de uma proposta diferente.
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://wwww.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário