Enjoy Books

Tudo sobre livros, séries e estudos

Resenha: Alice no País dos Pesadelos, do Jonathan Green

Imaginação é a única arma na guerra contra a realidade 
Título original: Alice's Nightmare in Wonderland
Autor: Jonathan Green
Tradução: Vinícius Mendes
Páginas: 288
Ano: 2019
Editora: Jambô
Onde encontrar: Site  |  Americanas
Cortem a cabeça dela!
Anos depois de sua última aventura no País das Maravilhas, Alice é mais uma vez chamada ao mundo mágico de animais falantes e cartas de baralho vivas. Desta vez, para impedir a insana Rainha de Copas de destruir o reino inteiro.
Mas neste mundo de sonhos nem tudo é o que parece e logo Alice terá de lutar para salvar a si mesma do pesadelo…
Ambientado no mundo clássico de Lewis Carrol, Alice no País dos Pesadelos é um livro diferente: aqui, você é a protagonista. São as suas escolhas que decidirão se Alice será bem-sucedida em sua aventura… Ou se cairá frente ao pesadelo que ameaça tomar todo o reino.
Prepare-se para entrar na toca do coelho!
Já imaginaram estar no lugar de Alice e tomar as decisões por ela? 
Ao invés de entrar na toca do coelho, imagina voltar pra casa e não fazer nada?

Agora imagina um livro que é como um jogo de tabuleiro ou RPG, você além de ler a história de Alice, vai tomando decisões por ela e no final pode encontrar muito mais que só a rainha de copas ou o chapeleiro. 


Um mundo onde quem toma as decisões é você, e enquanto decide pra onde ir, vai recebendo pontos de Lógica, Agilidade, Combate, Insanidade e Energia. Alice começa a aventura apenas com a roupa do corpo, incluindo o avental sobre o vestido que, felizmente, possui um grande bolso na frente. É nele que ela guardará qualquer coisa que pegar durante a aventura.
Comece pelo começo.
Mais de um caminho pode ser seguido pelo Pais das Maravilhas para chegar ao seu final, mas você pode levar várias tentativas para completar a aventura.
– É você! – grita de alegria o Gato de Cheshire. – Você é a Alice certa.
– O que quer dizer com Alice certa? – você pergunta, subitamente desconfiada.
– A Alice que vai nos salvar do Pesadelo.
– Do pesadelo?
– O que você está vivendo agora mesmo. A monarca louca precisa ser deposta ou a insanidade vai consumir o reino,deixando nada além de um caos e fobias transformadas em carne e ansiedades rastejantes. [...] Você precisa chegar até o coração da loucura, dentro do palácio e destronar a Rainha de Copas. Mas, para chegar lá, primeiro precisa atravessar o Labirinto. Chegando ao centro, para encontrar a saída.
– Agora, vá! – diz o Gato, enquanto começa a desaparecer a ponta da cauda –, está perdendo tempo – e terminando pelo sorriso, que se mantém por um tempo após o resto desaparecer.
Mais e mais curioso.
O rugir dos trovões ecoa, mais perto e mais alto... Mas não são trovões e sim o som de uma gargalhada. Olhando para o céu tempestuoso, você vê um rosto horrível se formando nas nuvens. É uma mulher feia, usando uma coroa. Os olhos de nuvens negras estão fixos em você (aumente 1 ponto de insanidade).
– É a Rainha de Copas. Está ainda mais louca que antes.– Somos todos loucos aqui – você murmura.– A loucura dela infectou esta realidade, transformando o sonho do Pais das Maravilhas em um reino de pesadelos de horrores inimagináveis e fobias manifestas. É por isso que a rainha precisa morrer.
– Corra, Alice! – grita o Coelho Branco. – Salve-se! Detenha a Rainha!
– Bem, o sonho é seu, então quem mais acha que poderia fazê-lo? – pergunta o Coelho Branco .– Um sonho? Parece mais um pesadelo.– É o que tenho tentado dizer a você?– E se quiser que pare, precisa eliminar Sua Majestade – o Lagarto interrompe. – O jeito mais certo é a Espada Vorpal, um golpe corta o pescoço. Tira a cabeça dos ombros de uma vez. É o único jeito de ter certeza com os tipos dela.– Certo, Bill, chega por hora. Vai fazer a pobre menina ter pesadelos... Oh, desculpe. É meio tarde agora, não?


O mundo criado pelo Jonathan ficou incrível, além de ler novamente Alice eu tive a oportunidade de me aventurar por um mundo novo com personagens mais perigosos e criaturas que podem me ferir se eu não tiver feito as escolhas certas. Alice no País dos Pesadelos é literalmente um jogo de tabuleiro numa versão impressa. Porém, mais divertida, excitante e apavorante. Com obstáculos e armas que podem ou não te ajudar durante a leitura.

E antes que vocês fiquem me perguntando o livro é inspirado em Alice no País das Maravilhas, porém, com melhorias em certos pontos, fazendo o leitor se sentir ainda mais incluso no mundo do autor. Super recomendo o livro para brincar com os amigos ou se divertir sozinha durante essa quarentena. Não é um livro leve (já que tem monstros e você pode se ferir), como puderam ver nas citações, mas pode ser divertido e te tirar da zona de conforto.

Em um País das Maravilhas eles dormemSonhando enquanto dias corremSonhando enquanto verões morremSeguindo a correnteza sem receio –O Brilho dourado agarrado com anseio –Vida, o que é além de um devaneio?

Espero que tenham gostado da resenha. Queria ter dito mais sobre a obra, porém é um livro de leitura interativa e está em constante mudança. Só pra fazer essa resenha eu li o livro três vezes.

Beijoss, e até a próxima!!

Comentários

  1. Oie!
    Eu, como uma grande fã da história de Alice no País das Maravilhas, amo todas as diferentes abordagens e interpretações que fazem desse clássico.
    Eu nunca li nenhum livro interativo na minha vida, e se for pra começar vou escolher esse! Amei demais a iniciativa, e acho que vou me divertir horrores sendo Alice por um dia haha :D

    Estante Bibliográfica

    ResponderExcluir
  2. Não sou tão fã assim da história de Alice, mas essa espécie de releitura me despertou o interesse. Fora que essa edição está linda!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Eu já li vários livros que são inspirados em jogos de RPG, mas acho que nunca li um que era o próprio tabuleiro... rs Deve ser uma experiência bem diferente, fora que é a oportunidade de ler esse clássico da literatura, só um dos dos meus favoritos. S2
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  4. Nossa, não sabia que existia esse lado sombrio de Alice. Fiquei bem curioso para ler, quero fazer um paralelo dessas histórias. Espero ler em breve.

    ResponderExcluir
  5. Que edição linda, acho a história da Alice de leitura para adultos e principalmente esse livro. Que resenha rica, adorei!

    ResponderExcluir
  6. Olá, adorei a sua resenha. Esse livro para mim é novidade, nem imaginava uma obra assim. Já quero pra ontem, amei essa edição.

    ResponderExcluir
  7. Na realidade se não fosse sua resenha não me interessaria pelo livro, descrição ótima! Fiquei interessado por esse jogo em que o leitor escolhe o destino de Alice.

    ResponderExcluir
  8. Quando era mais nova eu amaca jogo RPG e tinhan algumas aventuras nessa vibe de vc escolher o caminho que ia seguir e que iria alterar a história.
    Esse de Alice eu nunca tinha visto. Achei interessante...

    Küss 😘

    ResponderExcluir
  9. Eu fiquei curiosa quanto os aspectos que são melhores do que o original, já que não ficou muito claro no texto. Gosto da ideia de rpg literário, fiquei interessada. <3

    ResponderExcluir
  10. Ache impactante esse citação inicial sobre a imaginação ser a única arma na guerra contra a realidade. Além de ser bem verdadeira também. Enfim, achei realmente interessante a proposta interativa e o diferencial
    desse livro. Eu nunca me imaginei lendo algo assim ambientado no mundo clássico de Lewis Carrol. Mas trazendo um livro
    diferente e que cujo nos coloca como a protagonista e sendo nossa vez de decidir o que ela precisará fazer. Já me deixou mega interessada e curiosa e com vontade de fazer a leitura também. Adoro jogos de RPG. Então, esse estilo do livro me agradou muito.

    ResponderExcluir
  11. Uau! Uma releitura bem irreverente! Gostei muito! Já me disseram inclusive que a Jambô arrasa suas publicações! Você me deixou com muito instigada! Acredita que não tenho sequer uma edição de Alice?! Super toparia essa!

    ResponderExcluir
  12. Eu achei demais essa interatividade que o livro proporciona ao leitor. Ler Alice no País das Maravilhas já é algo surreal. Fiquei imaginando o quão divertido não deve ser essa obra.
    Vou ficar de olho pra adquiri-la. Beijão.

    ResponderExcluir
  13. Eu adoro a quantidade de possibilidades que um clássico como Alice permite acontecer. Mais uma descoberta sobre as influências de Carrol que me deixa contente e atraída. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem? Acredito que nunca conheci alguém que não fosse fã de Alice no país das maravilhas. Meu antigo blog, por exemplo, fazia menção a ela. Todo o significado, simbologia, é enriquecedor. Concordo com você, cada vez que lemos nossa percepção muda. Podemos ler 10 vezes, cada uma vemos detalhes que deixamos escapar das vezes anteriores. Ah, essa versão ainda não li mas fiquei bem curiosa. Está linda. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  15. Uau!
    Que bacana essa dica, fiquei bem curiosa para conhecer. Eu ainda não tive a oportunidade de ler nenhum livro com essa proposta, mas acho super interessante e sei que muita gente ama.
    Acredito que deve ser uma experiência incrível!
    Fiquei encantada com essa edição, e acredito que ainda não conhecia essa editora.
    Ótima dica, beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário