Resenha: Meninas Selvagens, da Rory Power


Uma lorde feminista das Moscas, com cerca de três melhores amigas que vivem em quarentena no colégio interno da ilha, e o quanto elas descobrem a verdade de seu confinamento quando alguém desaparece. Esta nova e nova estréia é um romance alucinante, diferente de tudo que você leu antes.


Titulo original: Wilder Girls
Autora: Rory Power
Páginas: 368
Ano: 2019
Editora: Delacorte Press 
Onde encontrar: Amazon  |  Skoob
Faz dezoito meses que a Raxter School for Girls foi colocada em quarentena. Desde que o Tox atingiu e tirou a vida de Hetty de baixo dela.
Começou devagar. Primeiro os professores morreram um por um. Então começou a infectar os estudantes, tornando seus corpos estranhos e estranhos. Agora, isoladas do resto do mundo e deixadas para se defenderem em sua casa na ilha, as meninas não ousam passear do lado de fora da cerca da escola, onde o Tox tornou a floresta selvagem e perigosa. Eles esperam a cura prometida enquanto o Tox se infiltra em tudo.
Mas quando Byatt desaparece, Hetty faz de tudo para encontrá-la, mesmo que isso signifique quebrar a quarentena e enfrentar os horrores que estão além da cerca. E quando ela o faz, Hetty descobre que há mais na história deles, na vida em Raxter, do que ela jamais poderia imaginar.


Wilder Girls segue Hetty, Byatt e Reese, três meninas que, junto com o resto da escola, estão infectadas com "Tox", uma doença que causa mutações, sendo que ele pode matar ou altera fisicamente seu corpo. A história começa 18 meses após a infecção na ilha de Raxter, o que dificultou um pouco o entendimento do que causou tudo. E mesmo quando concluí a leitura, não sei se foi o meu inglês ou foi a autora, mas eu senti faltando mais um pouco de explicação sobre Tox.


Depois de dezoito meses que a Raxter School para meninas da ilha é devastado pelo vírus, e elas lutam pela sobrevivência. Sendo que essa inexplicável doença não tem cura e afeta apenas o pessoal da ilha. Fazendo Hetty, Byatt, Reese e as outras meninas e trabalharem em grupo para pode sobreviver.

As narradoras são três amigas que compartilham do mesmo sofrimento que foi a infecção: o olho direito de Hetty se fechou, Byatt cresceu uma segunda coluna externa, Reese tem uma mão esquerda afiada, escamada de prata e cabelos brilhantes. Não quero deixar de mencionar que os professores da escola morreram, os animais da ilha foram infectados e a floresta ficou selvagem. 


"Ela nunca gostou muito de nós, desde que reclamou que não havia meninos na ilha, e Reese deu a ela o olhar mais vazio que eu já vi e disse:" Muitas garotas, no entanto. "
Assim que Byatt desaparece, as meninas precisam agir para salvar a amiga. Mesmo que isso possa custar a própria vida.

A obra me fez imaginar The Walkind Dead junto com Between, e como seria se isso tivesse acontecido na minha escola e todo mundo virando mutante.

"Eles nos disseram: 'Espere e continue vivo', e pensamos que seria fácil".

Então, você agora pode imaginar como fiquei horrorizado quando a história se desenrolou e como a capa engana. Em outras palavras, essa história é brutal e arrepiante, e eu não esperava ser empurrada para fora da minha zona de conforto de uma forma tão inesperada. Quero ressaltar que eu só comecei a ler Wilder Girls por causa da capa, que é absolutamente linda e estranha necessária na composição da história. E após terminar a obra, fiquei horrorizada com tamanha perfeição na história.

No mais, minha unica ressalva continua sendo a falta de explicação da Tox, seu surgimento e como só afetou o pessoal da ilha. Achei a narrativa dos personagens bem eletrizantes e a escrita da autora é muito perfeita. A obra é muito boa e por isso teve todo seu estardalhaço na gringa.


Espero que tenham gostado da resenha, me contem nos comentários se já leram algo da obra. E se querem mais resenhas do gênero.

Beijoss, e até a próxima!!

17 comentários:

  1. Oi, Alice!
    Eu amei essa capa e gostei mais ainda do tema. Queria que trouxessem para o Br, principalmente agora por causa do corona vírus, então faria muito sucesso KKKKKK
    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Alice!
    Parece ser uma história bem eletrizante, mas ultimamente não ando muito na vibes de histórias assim.
    Pena que a autora deixou a desejar nas explicações, e eu já percebi que isso acontece muito.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Esse é um livro que eu gostaria bastante de ler, mas não sei se nessa época de quarentena... acho que me deixaria mais ansiosa... Mas concordo que poderia ter rolado uma explicação, ainda que pequena, do tal Tox.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  4. Olha, lendo sua resenha e sinopse do livro eu nem consegui entender muito bem qual gênero esse livro se enquadra. Apesar de ter adorado sua resenha, a história, o título do livro e principalmente a capa.
    Como boa enroladora que sou, esperarei ansiosamente que esse livro seja traduzido. Tenho certeza que será uma obra com a qual eu vou me entrelaçar à história, pois me chamou muito a atenção.
    Parabéns por trazer uma resenha assim, de forma praticamente inédita, né? Pra mim foi.
    Beijocas

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  5. mulher que obra doida, diferente kkk, me soa estilo dum ou algum horror alá king mas sem se escrito por king e talvez sem o horror kkk, mas a premissa me deixou beem curiosa, não tem em pt ainda?

    ResponderExcluir
  6. Wow. Que história mais arrebatadora! Essa é a primeira vez em que leio algo contando sobre esse livro e eu adorei muito conhecer! Estou super intrigada e a sua resenha incrível já despertou meu interesse. Preciso desse livro agora hehe E eu com certeza já quero mais resenhas do gênero. Acho fascinante.

    ResponderExcluir
  7. AMEI! Ao contrário de você, não gostei muito da capa (é bonita, só não parece ser meu estilo de leitura), mas a sinopse e a sua resenha mostraram que o livro é daqueles que eu acho muito interessante, já estou morrendo de curiosidade para ler!
    Abraço
    Liv

    ResponderExcluir
  8. Uau, que capa linda. Olha, pela capa, não espero algo fofinho, mas também não esperava algo excessivamente brutal, que bom que se revelou uma surpresa. Achei estranho a pouca explicação sobre a Tox, mesmo assism quero ler o livro

    ResponderExcluir
  9. Olha eu nunca tinha ouvido falar deste livro, mas seu post me deixou instigada a conhecer a obra pela singularidade da temática e as suas reações para com a obra!

    Parabéns pelo seu trabalho

    Bjs Aruom Fênix

    Blog Leituras de Aruom

    ResponderExcluir
  10. Olá, não conhecia esse livro, mas é sempre bom quando um livro nos surpreende e muito ruim quando ficamos com dúvidas no final ou com aquele sentimento de que poderia ter sido melhor explicado. Essa capa é bem louca, difícil dizer o que ela passa (ao menos senti isso).

    ResponderExcluir
  11. Uau, o que uma capa não faz e ainda bem que você foi pela capa assim trouxe para nós essa que parece ser um grande surpresa. Se fosse adaptado por David Cronemberg no cinema seria massa ! rsrs

    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bem? Achei a edição bem diferente e fiquei curiosa pelo enredo. Interessante pensar numa história assim justamente quando estamos vivendo algo que parece surreal. Por mais que tenhamos de viver "trancados" a curiosidade, tédio, ou cansaço sempre nos estimula a sair da inércia. O ser humano não foi feito para ficar parado, imóvel, esperando as coisas acontecerem. Achei legal a proposta da autora. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  13. Eu vi a capa por aí e já achei intrigante, mas não me atentei a saber do que a tratava, até ler teu post. Parece ser uma história incrível. Fiquei curiosa pra ler. Gosto dessa coisa de mutação e tals. Lembrei da hq Black Hole...

    Küss 😘

    ResponderExcluir
  14. gente, fiquei super curiosa pra saber dessa historia por completo.
    nao conhecia, confesso, nunca tinha ouvido falar, mas jja estou enlouquecida querendo pra ontem. a capa é muito linda e tenho certeza que a historia é do tipo que eu vou gostar

    ResponderExcluir
  15. Boa dia de leitura durante a quarentena, literalmente 🤣. Achei bem interessante e a assustadora a premissa, não conhecia a obra nem o autor. Sua resenha me deixou bem curioso!

    ResponderExcluir



O cheiro de livros me dá as boas-vindas imediatamente e eu me sinto em casa. Pode me chamar de Alice, tenho 22 anos (com carinha de 15). sou uma estudante de publicidade eclética e hiperativa de 6h às 18h. Aqui você vai encontrar de tudo um pouco.

Colaborador


Busca

Facebook

Seguidores

Arquivos

Populares

Editoras Parceiras 2019

Tecnologia do Blogger.