Entrevista com Francisco Carvalho

Hey Guys,
O entrevistado de hoje é Francisco Paiva, ele é autor do livro Meu irmão, meu amigo. Um livro do gênero infanto juvenil que serve para todas as idades. O livro foi escrito com muito carinho, e espero que gostem de conhecer o autor mais um pouco.



Dois irmãos. Dois grandes amigos. José Maria e Joaquim têm uma ligação muito forte de amor, admiração e cuidado um com o outro. Dois irmãos inseparáveis, que não deixariam de estar lado a lado nem mesmo se o acaso ou o destino tentassem impor o seu afastamento. Uma semana antes das férias escolares de julho, devido a um trágico acidente, eles são obrigados a se separar para sempre. Mas José Maria acaba criando uma estratégia e, assim, consegue preservar o irmão do sofrimento incontido que parecia inevitável. Uma história comovente, de amor e lealdade, que vai emocionar os leitores que acompanharem as aventuras desses dois meninos irmãos.

Formato: eBook Kindle      Número de páginas: 60 páginas   ♥   Editora: Selo Off Flip   ♥    Ano: 2016   ♥   Onde encontrar: Amazon   Digitaliza Brasil 


Bom, vamos começar?!

1- O que te inspirou a escrever o seu livro "Meu Irmão Meu Amigo"? 
O livro foi escrito há bastante tempo; acredito que no inicio da década de 90. Nessa época, eu achava que havia certa escassez de textos infantojuvenis relacionados à morte. Foi aí que imaginei escrever uma história de ficção que pudesse entreter e, também, de alguma forma, ajudar crianças que, muitas vezes, infelizmente, são obrigadas a passar pela triste experiência de perder um ente querido.

2- E o que te fez seguir com a carreira de escritor?
A vontade de escrever surgiu nos meus primeiros anos de estudo. Havia na minha sala uma colega, de nome Virgínia, que escrevia muito bem. Eu ficava impressionado com suas redações: era usina pegando fogo, menino salvando pessoas grandes, cachorro que faltava falar... Ela sempre aparecia com alguma coisa inesperada e tirava, na maioria das vezes, as melhores notas. Eu ficava encantado com suas histórias. Dessa forma,  também fui tomando gosto pela escrita. No final da minha adolescência, comecei a participar de concursos literários. Acabei ganhando alguns prêmios, menções honrosas, participação em antologias e, aí, não parei mais. 

3- Qual foi o maior desafio que você encontrou na carreira de escritor, até o momento?
Sem dúvida continua sendo conseguir um lugar ao sol no mundo literário. Além de ser um mercado bastante concorrido, de existirem inúmeros ótimos escritores (ainda bem),  penso que o hábito da leitura no Brasil ainda é um pouco acanhado. E para o escritor iniciante é sempre difícil encontrar uma Editora disposta a investir em seu trabalho.

4- Quais são os seus próximos projetos? 
Seria a publicação impressa do livro “MEU IRMÃO, MEU AMIGO” e o lançamento do e-book “A ESTRANHA CASA DO JABUTI CASCUDINHO”, que é uma adaptação de um conto infantil de minha autoria, selecionado em uma das edições nacionais do Prêmio SESC de Contos Infantis Monteiro Lobato. Não necessariamente nessa ordem.

5- O que você gosta de ler? Indicaria qual livro para seus leitores?
Gosto de ler romances, livros espíritas e, claro, livros infantis. Indicaria “O Pequeno Príncipe”.

6- Quando escreve, no que se inspira para compor os personagens?
Inspiro-me nas atitudes das pessoas, no comportamento dos animais e também no que ocorre na natureza.

7- Qual é a sua parte favorita no processo de escrita de um livro?
É um processo solitário e, muitas vezes, angustiante. Mas, com certeza, também prazeroso. Por isso, não conseguimos parar. Acho que minha parte favorita é quando estou fazendo a revisão final de uma obra.  

8- Quem você admira no mundo literário?
São muitos. Vou citar apenas alguns: Gabriel Garcia Marquez, José Saramago, George Orwell, Ernest Hemingway, Antoine de Saint Exupéry (♥) e José Mauro de Vasconcelos.

9- Como você administra a sua rotina de escritor com o Trabalho?
Quando estava na ativa, escrevia quase praticamente somente à noite. Agora, já aposentado, ficou mais fácil. Até porque atenuei o ritmo da escrita. É que tenho alguns originais ainda inéditos. Alterno meu tempo lendo, escrevendo, navegando na internet, visitando parentes e desenvolvendo atividades na Casa Espírita, onde frequento. Atualmente, estou trabalhando “Rio Pequeno”, uma história que tem como tema a degradação do meio-ambiente.  

10- Muito obrigada pela entrevista, e lhe desejo todo o sucesso do mundo. Quer deixar um recado para quem ainda não conhece seu livro e para os leitores.
Eu é que lhe agradeço pelas palavras de carinho, pelo incentivo e pela oportunidade de poder falar um pouco de mim e também divulgar esse meu trabalho. Além da experiência de superação vivida por uma criança que, de repente, se vê obrigada a se afastar definitivamente do irmão que tanto amava, o livro traz ainda brincadeiras e aventuras, sempre num clima de muito amor e amizade. Desejo a todos saúde, prosperidade e, acima de tudo, muita paz. Nunca desistam de seus sonhos.


Bate e Volta:

Um sonho? 
A prevalência do bem sobre o mal. Para nós, espíritas, seria a transformação da Terra em um planeta de Regeneração.
Um livro? 
O Pequeno Príncipe
Um filme? 
A Noviça Rebelde
Um seriado? 
Os Waltons
Um lugar? 
Alguma praia tranquila no nordeste brasileiro.
Um autor (a)? 
Antoine de Saint Exupéry
Uma frase? 
Apressa-te a viver bem e pensa que cada dia é, por si só, uma vida. (Sêneca)

Então por hoje é só pessoal, espero que tenham gostado de conhecer mais um autor. E Qualquer dúvida pode me perguntar nos comentários. 

Beijos e até a próxima.

Resenha: Um amor em Barcelona da autora Lavínia Rocha


Autora: Um amor em Barcelona
Editora: D´Placido editora
Páginas: 80
Gênero: Romance

Sinopse: Isabela simplesmente odeia as visitas anuais ao seu pai em Barcelona e sempre faz de tudo para não ir. Nessas férias, além de não poder aproveitá-las com a amiga, terá de aguentar dois meses inteiros na Espanha. O que poderia ser mais chato? Ah, claro, ir na companhia da prima Briana. O que Isabela não imagina, porém, é como um garoto pode deixar Barcelona muito mais interessante...
 Um amor em Barcelona nos mostra Isabela, uma adolescente com os pais separados, a mãe está namorando com alguém do Canadá, e o pai é super famoso e mora em Barcelona. 

Por causa dessa separação ela precisa anualmente visitar seu pai, mas odeia quando faz isso, ela fica cercada de seguranças e não consegue se divertir, mas sua mãe lhe informa que terá que ficar em Barcelona por 2 meses, para que ela possa visitar o namorado, e Isabela aceita pois mesmo não gostando das visitas acha que não deve atrapalhar o relacionamento da mãe.

Mas Isabela não imaginava que essa viagem seria diferente e lhe traria um novo amor, ela vai com Briana, uma prima que não tem muito contato e as duas irão se conhecer melhor em Barcelona. Em um dos passeios pela cidade, Isabela conhece o suposto amor de sua vida...

– Ai, que desanimo! Tomara que isso não seja contagioso, porque eu estou muito animada.”
 Recentemente eu recebi vários livros dessa editora (preparem-se para várias resenhas) e esse me chamou a atenção por ser curtinho (apenas 80 páginas) e por essa capa fofa, então decidi ler e foi um típico livro 3 estrelas

É nítido que a autora escreveu esse livro quando era bem menor, temos um romance rápido, sem nenhum desenvolvimento e sem muitas reviravoltas para o final. O conflito que a autora criou foi ''sem pé nem cabeça'' e faltou lógica hora de resolvê-lo, o final poderia ser mais trabalhado.

Briana é uma prima animada mas que não foi aprofundada e não consegui ser envolvida por ela e seu romance, que fica como plano de fundo. Isabela é nem dramática e quer ser independente rápido, parece que não conhece os limites e perigos do mundo. Não tenta conviver bem com seu pai, e fala algumas frases bem bobinhas para sua mãe

A autora tem sim muito talento, recentemente li outro livro dela e ficou aparente o amadurecimento, mas nesse livro ela escreveu quase que um conto de fadas, aquelas típicas histórias de romance que terminam com aquele final que todos queremos para nossa vida, mas nem sempre é assim

A proposta foi bacana, poderia ser mostrado melhor o contato da personagem com sua mãe e também com seu pai, mas o livro consegue facilmente ser lido em apenas 1 dia, do tipo que quando você perceber já acabou.

Eu o li pela 3° edição, achei a capa bonita, a fonte é grande, as páginas brancas e tem várias ilustrações bem feitas. Por fim Um amor em Barcelona é indicado se fosse quer um livro para passar o tempo. 

Resenha: Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar ~ Os Números do Amor #1

Gente antes de começar, eu quero explicar que vou resenhar falando dos dois personagens e o ponto de vista dos dois. Por que o livro conta a história de Gabriel, mas a Callie roubou a cena.

Editora: Arqueiro (Livro cedido para resenha)  ♥   Gênero: Romance de Época  ♥   Páginas: 288   ♥   Skoob  


A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres. E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato. Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres. Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.
Calpúrnia Hatwell debutou quando tinha 18 anos, mas infelizmente por causa de seu "peso" não chamou a atenção de nenhum solteiro de Londres, e com isso não foi tirada para dançar. Decepcionada ela fugiu para o jardim e acabou na companhia do Marquês de Ralston que foi um cavaleiro e elogiou o seu nome dizendo que ela não deveria ter vergonha de ser o que ela é e o seu nome é lindo. 


Calpúrnia foi imperatriz de Roma, era forte, linda e mais inteligente do que os homens à sua volta. É um nome maravilhoso.

Ser solteira nos dias de hoje é completamente normal. Mas para Calpúrnia e a sociedade Londrina isso não é nada bom. Ainda por cima quando você tem 28 anos e sua irmã mais nova está se casando com um Duque. 

O livro é ambientado em Londres e se passa durante o Século XIX - onde todas as moças deveriam ser "Belas, Recatadas e do Lar". A nossa protagonista tem uma reputação que é de dar inveja a muitas moças da sua idade. Mas apenas ter uma reputação impecável não conta para ser pedida em casamento, ou até mesmo ser tirada para dançar. 

Bem, com o casamento de Mariana (sua irmã mais nova), Callie acabou recebendo alguns comentários maldosos de sua família. 

- Uma tragédia, não acha? Quem poderia imaginar? Com o seu dote, ninguém esperaria que nunca se casasse. [...] Mas antes que Callie pudesse responder, sua tia continuou:  - E agora na sua idade, podemos perder as esperanças. É praticamente impossível imaginar alguém pedindo sua mão. A não ser, claro, que seja um senhor mais velho, à procura de companhia no final da vida. Talvez isso possa acontecer.

Embora Callie ame a sua irmã e também esteja congratulando por causa do noivado, isso acabou sendo o ápice da humilhação. E após fugir da festa e se esconder com o Conde de Alendale (Benedick seu irmão mais velho ♥), Callie acaba tendo uma conversa com ele e decide se arriscar a fazer coisas que apenas homens são permitidos a fazer. Ela cria uma lista proibida.
E o primeiro item da lista ela vai cumprir naquela noite (♥). Ela vai beijar Gabriel grande amor de adolescência. 

Gabriel St.John, ou  como é conhecido o Marquês de Ralston. É o maior libertino de Londres, e ele gosta da fama de canalha pois até o momento não fez nada para mudar isso. Mas após descobrir que sua mãe teve uma filha na Itália depois de fugir de Londres e ter os abandonado ainda crianças ele e seu irmão. Ele pretendo cuidar da sua irmã Juliana e quer apresenta-lá a alta sociedade londrina. E com isso ele decide mudar a sua fama de libertino para ajuda-lá.
– Este não foi o beijo que veio buscar – falou Gabriel. 
– Ora, bem. Foi bastante agradável. Acho que estou muito satisfeita. 
– Bastante agradável não deveria ser o que está procurando. Nem o beijo deveria deixá-la satisfeita. 
Então ele a beijou. De verdade. Puxou-a contra si e pressionou a boca na dela, possuindo-a, tomando-a de uma forma que Callie nunca poderia ter imaginado. Foi como se ele lesse seus pensamentos e, quando ela não podia aguentar nem mais um instante, abraçou-a mais apertado e aprofundou o beijo, mudando a pressão.
E ela se perdeu. De repente, estava em chamas. Gabriel tinha razão. Este era o beijo pelo qual tinha vindo. Quando ele falou, seus lábios se curvaram junto à orelha dela, a respiração áspera transformando as palavras mais em um afago do que um som. 
– Beijos não devem deixá-la satisfeita. Eles devem deixá-la querendo mais.
Com a criação da lista Callie parece ter descoberto uma coragem e determinação que nem ela sabia que possuía. Gabriel ajuda Callie a cumprir alguns itens da sua lista, mas em troca ela terá que ajudar Juliana a se adaptar a Londres. Já que ele pretende apresenta-la a alta Sociedade.

O que era para ser uma aventura e distração acabou se transformando em algo mais intenso para os dois. Se Callie e Gabriel não tiverem cuidado podem acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.

A maneira que a história é contada me conquistou, não há grandes dramas ou reviravoltas, mas desse jeito nós percebemos os pequenos detalhes, e isso torna alguns trechos muito especiais. O livro é contado em terceira pessoa, dando melhor visão do que todos personagens pensam e sentem um pelo outro.
A história se desenvolve de maneira natural, comparada aos livros do gênero, e outros livros dessa autora, mas para mim isso trás mais realidade ao livro. O livro abordou fatos da sociedade daquela época que são ótimos para pessoas que não conheciam.


Sabe aquele livro que você não consegue largar nenhum segundo e vai lendo até perder a hora, por estar louca para descobrir o final? Então eu lhes apresento a série Os números do Amor,  simplesmente me apaixonei pelo jeito da Sarah MacLean e do humor dela. Esse livro tem uma pitada de humor incrível.

Nove Regras a Ignorar Antes de Se Apaixonar é o primeiro livro da série Os Números do Amor. Já foi publicado o segundo livro e Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter e como esse livro também tem regras, mas nós as encontramos em uma revista chamada Pérolas e Peliças.

Espero que tenham gostado da resenha, eu falei dos dois personagens separadamente.

Resenha: Legend - A Verdade se tornará lenda, da Marie Lu


Olá tordos e divergentes, a resenha de hoje é especialmente para você que ama uma distopia.

Enfim, eu comecei a leitura pensando em algo bem leve ou algo mais agitado, já que comparam essa trilogia com Jogos Vorazes e Divergente. 
Mas não chega nem perto de serem parecidos ou comparados com as obras...é melhor. Acompanhem ♥

Título: Legend   ♥  Autora: Marie Lu    ♥   Ano: 2012   ♥  Páginas: 256    ♥   Editora: Rocco   ♥    Comprar: Submarino | Saraiva| Skoob


Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos. Nascida em uma família de elite em um dos mais ricos setores da República, June é uma garota prodígio de 15 anos que está sendo preparada para o sucesso nos mais altos círculos militares da República. Nascido nas favelas, Day, de 15 anos, é o criminoso mais procurado do país; porém, suas motivações parecem não ser tão mal-intencionadas assim. De mundos diferentes, June e Day não têm motivos para se cruzarem – até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Preso num grande jogo de gato e rato, Day luta pela sobrevivência da sua família, enquanto June procura vingar a morte de Metias. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos.

O livro se passa na Republica, que antes era o oeste dos Estados Unidos. Mas por causa de guerras com as Colônias, acabaram se dividindo e criando uma nova Monarquia. O livro é ambientando no ano 2130, e como dá para perceber os país não são mas os mesmos.

Quando uma criança pobre ou rica completa 10 anos, ela é submetida à uma Prova (Parecida com teste de aptidão). A partir da pontuação da prova o governo pode transferi a criança para um determinado setor ou trabalho. Se a criança tirar a nota máxima, que é 1500 (O que é raro, muuuito raro mesmo), ela é transferida para a melhor faculdade e ainda por cima ganha dinheiro para ajudar a família. Já uma criança que tirar uma nota mais baixa que 1.000 e 1.249 ou ser reprovada, vai deixar a família sem dinheiro e ainda por cima vai trabalhar nas turbinas de água, ou nas centrais elétricas

Day é um jovem rebelde, que se tornou o mais procurado da República por causa de acidentes e roubos. Ninguém sabe a aparência dele, apenas que ele é um rebelde importuno e que precisa ser parado. Day tem apenas 15 anos, e fica escondido nos setores mais pobres com a sua amiga Tess
Ele não concorda com a politica do governo, e a única coisa que o mantém no Setor Lake é a sua família, que acha que ele está morto. 


-Nunca lhe perguntei sobre esse nome de guerra. Por que Day?  
-Porque cada dia significa novas 24 horas. Cada dia quer dizer que tudo é possível de novo. Você pode aproveitar cada instante, pode morrer num instante, e tudo se resume a um dia após o outro.

June é a única jovem que alcançou a pontuação máxima na prova, ela se tornou a prodígio da República. Ela tem apenas 15 anos, e estuda na Universidade de Drake, mora no Setor Rubi com o irmão Metias - Um jovem soldado que cuida da irmã como ninguém. June é uma personagem forte e muito inteligente, ela perdeu os país em um terrível acidente. A sua única família é seu irmão Metias. 

Porém, Metias é assassinado e todas as provas apontam para Day. A procura de vingança June aceita trabalhar para à República que a convence de se disfarçar e ir procurar Day nos setores mais pobres. O que parecia uma simples missão para a jovem prodígio, acabou se tornando uma coisa pessoal e revelou segredos que nem June (E nem o leitor) pudesse imaginar. 


Isso poderia bastar para a autora, mas NÃO ela acrescenta mais lenha na fogueira.  

Eu me esqueci de mencionar que no livro tem uma Praga que assola os Setores mais pobres, e é isso que prende Day, ele quer proteger sua família. Em uma observação a sua família, Day percebe que o seu irmão mais novo Éden está doente. Sempre os soldados aparecerem para ver se tem mais alguém doente na casa ou se é uma Praga. Em uma vistoria rotineira dos militares eles marcam a porta da sua família com um X (até agora tudo normal, isso quer dizer que é apenas uma doença), mas enquanto o soldado marca um X ele passa uma linha na vertical (Isso nunca aconteceu)... 

Como está descrito na sinopse o livro vai ter um pouco de romance. Não chega a tanto, apenas o suficiente para fazer o leitor se apaixonar por Day June.
Como disse no início, você vai querer saber o que aconteceu no capitulo seguinte e qual o mistério que envolve a morte de Metias, o que tem por de trás do governo e o que é aquele X na porta do irmão de Day.


Os personagens secundários foram bem construídos e desenvolvidos de eles são de muita importância no primeiro e segundo livro (A autora soube manusear cada um e usá-los no segundo livro com maestria).

Achei maravilhoso a autora separar os capítulos alternando a narrativa entre Day e June. O designer e a diagramação do livro é de fazer qualquer um babar, ela é linda. A Capa é em alto relevo e passa ao leitor o cenário que encontramos na história e que é descrito na sinopse. Não encontrei nenhum erro de gramatica e achei o designer das páginas maravilhosas.

Legend da autora Marie Lu é o primeiro livro da trilogia e traz a história de um jovem rebelde e a prodígio da republica. June procura vingança e Day quer salvar a família. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos. Uma história cheia de ação, intrigas e muito mistério.
Resenhas:
Legend - Você está nela
Prodidy - Ainda não foi publicada
Champion - Ainda não foi publicada

Sorteio de Halloween


Gostosuras ou travessuras? 
O blog foi convidado pela Patricia (Nossa nova parceira) do blog Metamorfose Literária para participar do sorteio de Halloween. Para saber mais sobre o sorteio o link é este (LINK do Blog da Patrícia).

PRÊMIOS:



Preso no Amanhecer + marcadores: Metamorfose Literária
Elevador 16 (As Crônicas dos Mortos): Preguiça Literária
Kit de marcadoresNão Leia
A Grande Peça + 10 marcadores: Enjoy Books

Coração de PedraLeitora Neurótica
A Condessa de AssisPacote Literário
A Transformação de RavenPeregrinos da Noite

P.S todos os prêmios vão para apenas um ganhador.

Resenha: Érica - Por Larissa Barros Leal


AutoraLarissa Barros Leal
Editora: Novo Século
Páginas: 271
Gênero: Drama/Romance

Sinopse: Moscou. Dois jovens sobrevivem a um duplo atentado que mata quase todos os seus amigos. Cairo. Uma ONG islâmica tenta escapar de uma armadilha, arquitetada por integrantes da Ordem das Doze Tribos de Israel. Washington. Na sede da Ordem, a filha de um funcionário da Casa Branca cai em ciladas para que seu pai colabore com os radicais. Pequim. Um filho procura o pai, há meses desaparecido. Fortaleza. Em uma triste manhã, Érica encontra seus pais mortos... Nessa incrível trama, todas essas histórias se entrelaçam de forma impressionante. E somente Érica, que acaba de descobrir que foi incluída em uma lista negra da Ordem das Doze Tribos de Israel, poderá impedir uma grande desgraça planejada por judeus fundamentalistas, prestes a atingir a todos.
Uma mulher morrendo pelo trabalho árduo. Jovem vendo o povo morrer aos poucos de cansaço e fome. Todos querendo saber quando a paz irá chegar. É assim que começa o livro Érica, da autora Larissa Barros Leal, publicado pela Novo século pelo selo Talentos da literatura brasileira e que possui 2 edições já publicadas. 

Foi para isso que sobrevivemos a Hitler? Para morrermos nas mãos de muçulmanos loucos? Quando teremos paz? 
Érica mora em Fortaleza e está alegre para o seu aniversário de 15 anos, o sonho de toda adolescente está prestes a se concretizar.  Jamil está a algum tempo trabalhando em um projeto. Era a segunda vez que o Brasil sofria atentados. Katia e Ivan presenciam um duplo atentado na boate mais badalada de Moscou. Natalie e seus amigos foram sequestrados por pessoas que queriam informações de seu pai, funcionário da Casa Branca. Chang está a procura de seu pai, a meses desaparecido, achando que ele morreu ou se suicidou. Jamil é presidente de uma ONG que tem como objetivo levar o islamismo ao mundo.

O grande dia de Érica chegou, mas depois da grande festa ela recebe a notícia de que seus pais estão mortos, conversa com Derek, um agente da Europol, que conta que os culpados pela morte iriam mata-la, mas preferiram matar seus pais, e por um motivo de vingança ela decide viajar com o conhecido, assim que descobriu que faz parte da lista negra da Ordem das Doze Tribos de Israel, cujo objetivo é espalhar o judaísmo pelo mundo.

Ao fim da música, a mãe, ainda com o microfone, fez um breve discurso. O tomara que caia azul e prata realçava suas curvas. Longo, dificultava a visão do sapato, que a filha sabia ser preto com fundo azul
Esse deve ser o livro com mais personagens que eu li, no resumo eu coloquei apenas os principais para não deixar a resenha muito longa. O número de personagens atrapalha um pouco no início, quando a autora se esforça para nos envolver no universo de cada um, mas na ''Parte 2'' do livro já estamos imersos nessa trama cheia de intrigas e descobertas.

Por incrível que pareça a autora conseguiu aprofundar seus personagens, que não são poucos, em poucas páginas, fazendo com que a divisão e a leitura não fiquem cansativas, e sim melhores ainda, pois cada personagem está passando por uma situação que no decorrer da estória ira se relacionar com os outros, e é interessante acompanhar cada um e a maneira que lidam com o que está acontecendo.


Numa guerra não existem vencedores. Todos perdem... Por cada pessoa, soldado ou civil, que morre numa guerra, a humanidade perde um pouco de sua essência,e os países, parte de seu maior patrimônio... o melhor caminho é paz.
Larissa Barros Leal conseguiu mostrar o melhor e o pior do ser humano e sua fobia por religião, querendo que todos concordem com ele ao mesmo tempo que a fé os persegue, com uma narrativa fluida e envolvente, rápida e direta, que traz capítulos curtos e revelações nos momentos certos.

A religião foi muito bem apresentada, toda guerra e discórdia acontece por um querer espalhar sua religião e outro não aceitar isso ou não ser da mesma fé. O vício também é mostrado, com personagens que precisam largar a bebida e o cigarro, mas descontam neles suas incertezas e dúvidas. 
A raiva foi substituída pela determinação. Ela não deixaria que a morte dos pais fosse em vão. Faria o que não queria que fizessem: enfrentá-los.
Érica mostra pessoas lutando pela paz e reconhecimento, amores sendo descobertos e famílias sendo destruídas, as histórias se relacionam com maestria, de uma maneira que no final fiquei refletindo como não percebi tudo antes.

Não encontrei erros de revisão, achei as duas edições lindas. Uma das melhores leituras do ano, uma guerra por poder e sede de vingança, assim como personagens que precisam lidar com perdas, o universo do livro é fantástico, e ao mesmo tempo nos traz reflexões sobre como estamos lidando com a religião e querendo que os outros façam algo para satisfazer nossas vontades. Curto e maravilhoso.

8 on 8: Livros que te tiraram o fôlego

 

Oi oi gente,
Estou sumida (Eu sei), mas infelizmente vou continuar sumida por duas semanas. Estou no intensivo Enem, e não tenho tempo nem de respirar.

Mesmo sabendo que não estou com tempo, mas gostei tanto que aceitei e entrei no projeto 8 on 8 criado pelo Diogo do blog No Conforto dos Livros. O tema escolhido por ele foi livros que te tiraram o fôlego.

Eu escolhi o livro que me deu muitos sustos "O Quarto Dia" da autora Sarah Lortz. 
Sinopse: Janeiro de 2017. Após cinco dias desaparecido, o navio O Belo Sonhador é encontrado à deriva no golfo do México. Poderia ser só mais um caso de falha de comunicação e pane mecânica... Se não fosse por um detalhe: não há uma pessoa viva sequer no cruzeiro. As autoridades acham indícios de uma epidemia de norovírus, mas apenas descobrem os corpos de duas passageiras. Para piorar, todos os registros e gravações de bordo sofreram danos irreparáveis. Como milhares de pessoas podem ter sumido sem deixar rastro? Teorias da conspiração se alastram, mas só há uma certeza: 2.962 passageiros e tripulantes simplesmente desapareceram no mar do Caribe.
Esse livro não me surpreendeu muito, mas a história tem seus momentos que te tiram folego. Setecentos e trinta e três dias depois da morte da minha mãe, 45 dias após o meu pai fugir para se encontrar com uma estranha que ele conheceu pela internet, 30 dias depois de a gente se mudar para a Califórnia e apenas sete dias após começar o primeiro ano do ensino médio numa escola nova onde conheço aproximadamente ninguém, chega um e-mail. Deveria ser no mínimo esquisito, uma mensagem anônima aparecer do nada na minha caixa de entrada, assinada com o bizarro nome Alguém Ninguém. Só que nos últimos tempos a minha vida tem estado tão irreconhecível que nada mais parece chocante...
Esse livro tem uma história interessante que deixa o leitor curioso para saber como vai ser do personagem. A história é sempre contada pelos vencedores, dizem. E Nathan, infelizmente, não é um deles. Na Inglaterraem que ele vive, bruxos e humanos dividem omesmo espaço, sem, no entanto, se misturarem. Mesmoentre os bruxos, há os que se autodenominam bons, purose justos — os bruxos da Luz —, e há, é claro, seusinimigos, aqueles que devem ser combatidos e aniquilados,a origem de todo o mal — os bruxos das Sombras. Nesse mundo dividido entre mocinhos e vilões, nãoter um lado é pecado, e esse é exatamente o caso de Nathan, filho de uma bruxa da Luz com um bruxo dasSombras. É importante dizer que seu pai, Marcus, nãoé qualquer um, e sim o mais poderoso e cruel bruxo dasSombras que já existiu, acusado de ter matado a mãede Nathan e de espalhar o terror por onde passa. Vivendo com a avó e os meios-irmãos, Nathan évisto como uma aberração por seus pares e pelo Conselhodos Bruxos da Luz, que enxergam no garotouma ameaça que precisa ser ou domada ou exterminada. E as coisas só ficam mais complicadas conformeo tempo passa, já que, ao completarem dezessete anos, todos os bruxos passam por uma cerimônia emque seu dom, o poder que carregarão por toda a vida,é finalmente revelado. Nesse momento se definirá seNathan é um bruxo da Luz ou das Sombras.
E o tempo dele está se esgotando.Em Half Bad, acompanhamos a jornada errante efrenética de Nathan para encontrar o pai e, mais importante ainda, sobreviver. Mas como conseguir issoquando cada passo seu é vigiado e ninguém é confiável— nem mesmo a família, nem mesmo a garota que
você ama? Com uma narrativa vívida e dinâmica, Sally Greenconstrói uma história arrebatadora sobre intolerância,racismo e os caminhos tortuosos que todos trilhamos rumo ao amadurecimento.
Eu escolhi esse livro por ter uma história tão envolvente que fiquei sem fôlego logo nos primeiros capítulos. Emma tem 27 anos, é linda e inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde a época de escola, ela não poderia estar mais empolgada. Mas o que deveria ser o momento mais feliz de sua vida de repente vira uma tragédia. Emma sofre um acidente e é salva por um estranho minutos antes que o carro em que ela viajava explodisse. Abalada, ela decide adiar o casamento. E nesse meio-tempo descobre segredos que a fazem questionar as pessoas nas quais sempre confiara – a ponto de duvidar se deve se casar afinal. Para complicar, ela se sente cada vez mais ligada a Jack, o homem que a salvou e que não sai da sua cabeça. Jack é lindo, gentil e divertido, de um jeito diferente de todos que ela já conheceu. Por outro lado, é Richard quem ela sempre amou... Uma mulher, dois homens, tantos destinos possíveis. Como essa história vai terminar?
Esse livro foi o melhor da trilogia. Katniss conseguiu sair da arena pela segunda vez, mas, mesmo assim, ainda não está a salvo. A Capital está irritada e quer vingança e, por isso, inicia uma represália a toda a população. Numa trama tão violenta quanto psicológica, Suzanne Collins consegue provocar, em A esperança, um debate sobre a moral e os valores da guerra e as consequências das escolhas feitas por cada um dos personagens.

Ser o símbolo da revolução tem um preço alto para Katniss, que terá que decidir o quanto da sua própria humanidade e sanidade ela poderá arriscar em nome da causa, dos seus amigos e da sua família. É pela voz da protagonista, ainda mais feroz e obstinada, que a autora desafia o leitor a refletir em meio a cenas cruéis de combate. Tudo isso numa narrativa brilhante, com viradas surpreendentes que levam a um desfecho chocante e original.
Eu me coloquei no lugar da Lara Jean, e com isso meio que senti tudo que ela passou. Imagina as suas cartas serem enviadas para os seus "amores" de infância?
Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos. Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar
A autora escreveu uma trilogia surpreendente. Ambientada na República, nação instalada numa região outrora conhecida como costa oeste dos Estados Unidos e que vive em guerra contra as Colônias, a série acompanha o romance improvável entre dois jovens de origens distintas numa realidade opressora. Nascida em uma família de elite em um dos mais ricos setores da República, June é uma garota prodígio de 15 anos que está sendo preparada para o sucesso nos mais altos círculos militares da República. Nascido nas favelas, Day, de 15 anos, é o criminoso mais procurado do país; porém, suas motivações parecem não ser tão mal-intencionadas assim. De mundos diferentes, os dois não têm motivos para se cruzarem, até que o irmão de June é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Presos num grande jogo de gato e rato, Day luta pela sobrevivência da sua família, enquanto June procura vingar a morte de Metias. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos, numa trama de forte conteúdo político e repleta de ação, reviravoltas e romance.
Pensei que já tinha lido de tudo. Agora percebo que não, virei fã dessa trilogia. Sempre gostei de THG, mas Legend é outra coisa. June e Day já estiveram em lados opostos uma vez. Mas, depois de descobrir as medidas extremas que o governo da República é capaz de adotar para proteger alguns segredos, agora os dois jovens têm a oportunidade de lutar lado a lado contra o controle e a tirania da República e, assim, alterar para sempre o rumo da guerra entre as nações. Resta saber se estão preparados para pagar o preço que as transformações exigirão deles. Prodigy é o segundo volume da trilogia Legend, da chinesa radicada nos EUA Marie Lu, considerada pelo público e pela crítica internacional uma das melhores sagas de distopia já publicadas. Ambientada na República, nação instalada numa região outrora conhecida como costa oeste dos Estados Unidos e que vive em guerra contra as Colônias, a série acompanha o romance improvável entre dois jovens de origens distintas numa realidade opressora. 



Os blogs participantes são:
 No Conforto dos Livros (Criador do 8 on 8)   Guerra dos Livros   Cantinho Cult    Blog da Fé    Meu Amor Pelos Livros    Blog Gordinha Assumida    Banal Girl 

Entrevista com Carolina Hermanas

Foto: Tumblr
Oi oi amores,
Vocês já viram a Carolina por aqui antes (Link), eu resenhei o seu livro Cheiro de Sonho. E como ainda mantenho contato com a autora perguntei se poderia entrevista-la. Como podem ver ela gostou das perguntas e se empolgou um pouco, rsrsrs.
Espero que gostem da autora e das suas respostas.

1 - O que te inspirou a escrever o seu primeiro livro? 
Muitos sonhos.Minha obsessão eterna com Nova York e a paixão pelas letras das músicas da Taylor Swift.

2 - E o que te fez seguir com a carreira de escritora?
Eu escrevo desde os meus treze anos de idade.Sempre foi o meu refúgio( acredito ser de muitas pessoas,rs), então, tudo aconteceu naturalmente.

3 - Qual foi o maior desafio que você encontrou na carreira de escritora, até o momento?
Escrever uma história,acredita? HAHAHAH.Eu sempre fui muito ligada com a poesia, então, bolar um enredo com tudo certinho( e mesmo assim, tem coisa pra arrumar sempre) parece uma coisa louca na minha cabeça.Mas estou sempre aprendendo.E claro, acho que encontrar alguém do ramo editorial que confie no seu trabalho é extremamente díficil!

4 - Quais são os seus próximos projetos? 
Eu quero lançar um livro de poesia( que na verdade, publiquei ele todo lá no wattpad) e estou ajustando algumas coisas de Cheiro de Sonho e logo mais vou começar a continuação  do meu romance.

5 - Como você lida com os elogios/criticas dos leitores?
Melhorei muito nos últimos anos.Muitas pessoas vem para te atacar, mas é importante tentar absorver as coisas de uma forma positiva e madura.

6 - O que você gosta de ler? Indicaria qual livro para seus leitores?
Tudo,rs.Eu indico muito A Linguagem das Flores(Vanessa Diffenbaugh) que li recentemente e sou completamente apaixonada por essa história.

7 - Quando escreve, no que se inspira para compor os personagens?
Nas pessoas que convivo.Tenho tentado abordar um pouco da minha personalidade em cada história que escrevo.Ou então, imaginar situações que nunca aconteceriam na minha vida real e atitudes que eu nunca tomaria.Isso fica bem legal,rs.

8 -  Qual é a sua parte favorita no processo de escrita de um livro?
Ter milhões de ideias e ficar perdida no meio de tanta coisa que você começa a pensar.Sério.É incrível como ao longo do tempo tudo vai se encaixando :)

9 -  Quem você admira no mundo literário?
Meg Cabot.É a escritora mais engraçada que conheço  e inteligente que conheço.Claro que admiro várias escritoras, mas ela sempre vem em primeiro lugar.

10 - Como você administra a sua rotina com o Blog, Canal e seu trabalho?
Boa pergunta,rs.O canal ainda é uma coisa nova na minha rotina, então sempre estou mudando alguma coisa para me adaptar aos horários.Durante a semana, á noite, leio um pouco os livros de parcerias.Aos sábados( pela manhã) faço os posts do blog  e respondo comentários e ah, claro, durante o dia ( na semana) eu trabalho numa coisa completamente diferente.Preciso do dinheiro( e ajudar em casa), então aprendi a controlar tudo isso.Como fica a parte de escrever meus livros? Também estou me virando nos trinta, porque está complicado,rs.

11- Muito obrigada pela entrevista, saiba que sou muito fã de seu trabalho e lhe desejo todo o sucesso do mundo. Quer deixar um recado para quem ainda não conhece seu livro e para os leitores.
Cheiro de Sonho foi publicado pela editora Multifoco, mas já parou de ser vendido.Comecei a publicar lá no wattpad e uma versão nova vem por aí.A Florisbella( personagem principal) me pediu para que vocês a acompanhem nessa nova jornada.Nada do que novos amigos para lhe ajudar a enfrentar essa empreitada né?Obrigada :) 


Bate e Volta



Um sonho? 
Muuuitos livros escritos
Um livro? 
Um amor para recordar, by Nicholas Sparks
Um filme? 
A última música, by Nicholas Sparks
Um seriado? 
Gilmore Girls pra vida inteira ahahah
Um lugar? 
Nova York :)
Um autor (a)? 
Meg Cabot
Uma frase? 
Fé e coragem.Avante!


Muito obrigada pela entrevista e o carinho!

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado dela.
beijos e até o próximo post ♥

Resenha: A namorada do meu amigo da Graciela Mayrink

A resenha de hoje é de um livro simples, com uma história singular, mas que foi muito bem contada e pode trazer algumas reflexões aos leitores


Autora: Graciela Mayrink
Editora: Novo Conceito
Páginas: 334
Gênero: Drama/Romance

Sinopse: Quando voltou das férias de verão, Cadu não imaginava a confusão em que a sua vida se transformaria. Era para ser um ano normal, mas ele entrou em uma enrascada e está correndo o risco de perder a amizade do cara mais legal do mundo. O que fazer quando a namorada do seu amigo vira uma obsessão para você? Os churrascos da turma da faculdade talvez ajudem a esquecer Juliana, e, se depender do esforço do divertido Caveira, não faltarão garotas gente boa para preencher o coração de Cadu. Mas não adianta forçar… Quem consegue mandar no coração? Alice, a irmã de Beto, é só mais uma das dores de cabeça que Cadu tem que enfrentar. A vida inventa cada cilada! 



Cadu sempre foi muito amigo de Beto e Caveira, eles formavam o grupo conhecido como ‘’Os Três Mosqueteiros’’ mas tinha a Juju, uma menina insuportável, chata, ninguém gostava dela, mas ela sempre dizia que iria se casar com Cadu. Até que Caveira chega e o informa que Juju está se mudando para Porto Alegre, e todos ficam felizes, pensando que nunca mais veriam a garota 

Agora adolescentes, Cadu esta de férias e foi passar 3 meses com sua mãe em Florianópolis, mas na volta é informado por Caveira que Juju voltou, e agora está mais bonita, não é mais a mesma menina de antes, e está namorando o Beto

É amor à primeira vista, Cadu se apaixonada pela ‘’nova Juju’’ ( que agora prefere ser chamada de Ju) mas ao mesmo tempo se sente culpado por estar amando a namorado do seu amigo. Você trocaria seu amigo pelo amor da sua vida?
Naquele momento percebi o que estava acontecendo comigo: estava começando a me apaixonar pela namorada do meu amigo e não conseguia parar de pensar em Juliana desde que a revi
Para começar, amei como a autora mostrou a amizade, mesmo Cadu estando gostando de Ju, ele não esquece o quanto pode magoar Beto e perder sua amizade, ao mesmo tempo que não pode esconder seus sentimentos por ela. O livro possui um triângulo amoroso que mexe com o leitor, porque o livro é narrado pelo Cadu, então queremos que ele consiga cumprir seu desejo de namorar Ju, mas ao mesmo tempo acompanhamos Beto, que como melhor amigo do protagonista conta para ele como ama sua namorada, e acaba dividindo o leitor

A irmã de Beto, Alice, é apaixonada por Cadu, mas o sentimento não é reciproco, mesmo assim a garota o persegue, mas Cadu nunca namoraria ela, pois fez um acordo com seus amigos de que nenhum namoraria a irmã do outro
"Não se pode deixar nada nesta vida sem tentar, para depois não se arrepender."
O que mais gostei foi que o livro conseguiu tratar de temas, como a família, mostrando Cadu e seu pai, Beto e o ciúme pelas suas irmãs… Também conseguimos ver a amizade, como citei anteriormente, e durante a leitura iremos acompanhar os personagens em festas e bares

Juliana  não é nem um pouco inocente, Beto é obsessivo, antes era mulherengo, mas agora que está namorando sabe se controlar. Caveira é aquele amigo cúmplice, que adoro ir aos bares e não gosta de namorar, prefere ficar sem compromissos. O pai do Cadu tenta conversar com o filho e alertar sobre como é estar apaixonado pela namorado do seu próprio amigo. Cadu é um personagem normal, não achei ele super antipático, mas ao mesmo tempo não gostei de como ele age em algumas situações e nem de como ele toma decisões precipitadas

Por fim, não é uma leitura com mistério, reviravoltas tensas e todos os aspectos que deixam o leitor vidrado, mas é uma história bonitinha de acompanhar, leve, sem grandes acontecimentos.. Mas todas as cenas foram necessárias, pelo menos na minha opinião. É um livro gostosinho de ler, esperava um livro bem engraçado, mas não encontrei, não sera um livro que te deixará dando altas risadas, mas me deixou com um sorriso no rosto pela maneira como a leitura foi contada. Por fim, indico, mas não espere uma história muito complexa



O cheiro de livros me dá as boas-vindas imediatamente e eu me sinto em casa. Pode me chamar de Alice, tenho 22 anos (com carinha de 15). sou uma estudante de publicidade eclética e hiperativa de 6h às 18h. Aqui você vai encontrar de tudo um pouco.

Busca

Facebook

Seguidores

Arquivos

Editoras Parceiras 2019

Tecnologia do Blogger.